pretas potências em movimento

Instagram

Blog

#FeiraPretaFaz18 Festival Feira Preta ocupa a cidade durante os meses de novembro e dezembro com extensa programação focada na cultura e empreendedorismo negros

Edição 2019 celebra os 18 anos da Feira Preta e deve reunir mais de 30 mil pessoas

 

São Paulo, outubro de 2019 – O Festival Feira Preta 2019, maior evento de cultura e empreendedorismo negros da América Latina, que neste ano chega à maioridade, ocupa diferentes territórios da cidade de São Paulo durante todo o mês de novembro e dezembro. O evento, que reuniu mais de 50 mil pessoas em 2018, distribui pela capital paulista uma extensa programação, que inclui feiras de produtos e serviços, palestras, workshops, shows, exposições, gastronomia, cinema e literatura.

Com a expectativa de reunir cerca de 100 empreendedores negros, de diferentes regiões do país, e receber mais de 30 mil visitantes, a Feira Preta encerra o Festival, nos dias 7 e 8 de dezembro.

“Em 18 anos, construímos o maior festival de cultura negra e a maior feira de afroempreendedorismo da América Latina. Nesse período, a Feira Preta reuniu mais de 170 mil pessoas, 900 artistas nacionais e internacionais, 1.200 expositores do Brasil e América Latina e movimentou cerca de R$ 5 milhões na venda de produtos e serviços. Neste ano, a programação artística e cultural será focada na trajetória da própria Feira e no propósito de unir experiência, design e conexão, com o tema Passado, Presente e Futuro”, conta Adriana Barbosa, CEO da PretaHub e presidente da Feira Preta.

Organizado pela pretahub, o evento tem como objetivo mostrar a riqueza, pluralidade e importância da cultura africana e afro-brasileira, com produtos desenvolvidos por empreendedores negros.

Confira a programação:

09 E 10 DE NOVEMBRO

 

Festival A Vida no Centro convida Feira Preta

Local: Praça Antônio Prado

 

Ocupar o Centro Histórico de São Paulo com arte, cultura e experiências, estimulando assim uma nova relação das pessoas com a região onde a cidade nasceu. Esse é o propósito do 1º Festival A Vida no Centro, que será realizado nos dias 9 e 10 de novembro de 2019 na Praça Antônio Prado (onde fica o coreto da Bolsa), um dos lugares mais charmosos e que melhor simbolizam o novo momento do Centro, que vem se transformando positivamente por meio da gastronomia e da cultura. A Feira Preta participa com uma edição pop-up durante o evento, com feira de produtos, serviços e atividades culturais. Programação do A Vida no Centro: https://avidanocentro.com.br/

19 DE NOVEMBRO

A partir de experiências de mulheres negras de diferentes origens, culturas, identidades de gênero e dissidências sexuais no ativismo feminista, antirracista e anticolonial na América Latina e Caribe,  o Encontro Internacional Afro-Feminismos de  Abya Yala: uma aposta crítica para o agora busca, através da interlocução, visibilizar protagonismos de mulheres negras e/ou racializadas na construção das sociedades Latino-americanas e Caribenhas que desafiam cotidianamente as imbricadas opressões intrínsecas ao patriarcado, ao racismo, ao capitalismo. Esse Encontro Internacional tem como objetivo ecoar reflexões e contribuições de pensadoras feministas não hegemônicas, a partir não só das suas presenças e palavras, mas também da visibilização das várias identidades do que é ser mulher (Cis, hetero, LGBTIQ+…). Em dois dias de evento, propomos a interlocução do público com dez pensadoras e ativistas que refletem experiências e vivências em países como Peru, Argentina, Uruguai, Colômbia, Chile, Costa Rica, Panamá, República Dominicana, Canadá, Trinidad e Tobago e Brasil, no tocante a temas como imigração, segurança, justiça social, representação política, organização popular e comunitária, arte e religiosidade.

 

O Encontro Internacional Afro-Feminismos de Abya Yala: uma aposta crítica para o agora é uma proposta de diálogo, de aproximação do Brasil com a América Latina e Caribe, de encontro e construção de estratégias para o enfrentamento das desigualdades, e um tecer de redes de saberes, de ações e de resistências políticas e culturais que estabelecidas fortalecem e garantem a sobrevivência de traços comuns à experiências da diáspora.

ENCONTRO INTERNACIONAL AFROFEMINISMOS DE ABYA YALA: Uma aposta crítica para o agora – Teia 1 – Mobilizando-nos

Tecendo Existências e narrando experiências a partir da organização de mulheres negras em Abya Yala

Local:  Sesc 24 de Maio

Horário: 14h às 17h

Ingressos: Gratuíto. Retirada uma hora antes do evento

 

Contextos, gerações e experiências diferentes no que concerne o ser mulher negra. Com esse encontro entre  Sandra Chagas – ativista lésbica afro-uruguaia, Eliza Pflucker – antropóloga lésbica afro-peruana e Neón Cunha – ativista trans afro-indígena, pretendemos apresentar um panorama das diferentes formas de organização política de mulheres negras no contexto de Abya Yala, das lutas pró direitos das pessoas negras LGBTQ+, assim como as alianças entre mulheres negras e indígenas no cone sul do continente.

 

Participantes

Eliza Pflucker (Peru)

Sandra Chagas (Uruguay/Argentina)

Neón Cunha (Brasil)

Mediação: Danielle Almeida

 

 

ENCONTRO INTERNACIONAL AFROFEMINISMOS DE ABYA YALA: Uma aposta crítica para o agora – – Teia 2 – Expressando-nos

Vozes e corporeidades contra hegemônicas na fé, na luta e nas artes negras em Abya Yala

Local:  Sesc 24 de Maio

Horário: 19h às 21h

Ingressos: Gratuíto. Retirada uma hora antes do evento

As mulheres negras na diáspora buscaram estratégias de organização e luta a partir de diferentes experiências com o sagrado, nas festas populares, nas artes, na ação política em si, etc.. Com esse encontro entre Yuderkys Espinosa – pensadora e ensaísta  contra o racismo, o hetero patriarcalismo e a colonialidad, Shirley Campbell – poeta ativista antirracista e Helena Theodoro – filósofa especialista em religiões de matriz africanas no Brasil, pretendemos apresentar perspectivas sobre as diferentes ferramentas de luta de mulheres negras ao longo da história em Abya Yala.

 

Participantes

Yuderkys Espinosa (Rep. Dominicana/Colômbia)

Shirley Campbell Barr (Costa Rica/Panamá)

Helena Theodoro (Brasil)

Mediação: Luciane Ramos

FESTA Afropunk e Feira Preta: Black to the Future

Local: Audio Club

Horário: 22h

Ingressos: LOTE 1:  R$ 40 (MEIA) / R$ 80 (INTEIRA)

LOTE 2:  R$ 50 (MEIA) / R$ 100 (INTEIRA)

LOTE 3:  R$ 60 (MEIA) / R$ 120 (INTEIRA)

PASSAPORTE, Nov 19 & 20: R$ 60 (MEIA) / R$ 120 (INTEIRA)

O Festival AFROPUNK é uma instituição que pauta a cultura pop há mais de 14 anos, um triunfo do multiculturalismo e da diversidade, incluindo todas as expressões de gênero, credos e culturas da diáspora africana. Nova York, Atlanta, Londres, Paris e Joanesburgo já abrigam eventos globais da AFROPUNK. Agora, o AFROPUNK anuncia que fará parceria com o festival Feira Preta, que inicia em uma festa de duas noites nos dias 19 e 20 de novembro de 2019, uma comemoração do 18º aniversário da Feira Preta. O evento potente será realizado na Audio, em São Paulo, e contará com duas noites de entretenimento ao vivo de artistas brasileiros, incluindo: BaianaSystem, Baco Exu do Blues, AyaBass com Luedji Luna, Xenia França e Larissa Luz, Karol Conka, Young Piva, Gabz , Batekoo e o DJ novaiorquino MikeQ, entre outrxs. Apresentado por Magá Moura e Linn da Quebrada.

Com um olhar para o passado, presente e futuro, estamos celebrando esta parceria com o AFROPUNK em nossa festa ‘Black To The Future’. Juntos Feira Preta e Afropunk para continuar aumentando o poder criativo e econômico da população negra.

INDUMENTÁRIAS NEGRAS EM FOCO

Data: 19/11 a 01/03/2020

Horário: Terça a domingo e feriados (exceto segunda), das 10h às 20h. Quinta, exceto feriados, das 10h às 22h
Local:
IMS Paulista
INGRESSO: Gratuíto. Retirada uma hora antes

 

A exposição de livros Indumentárias negras em foco é uma parceria entre o Instituto Moreira Salles e o Instituto Feira Preta. Com curadoria da educadora e pesquisadora em história cultural Hanayrá Negreiros, a mostra destaca livros em que imagem e indumentária conformam maneiras potentes de resgatar e contar histórias e memórias negras – uma investigação sobre como os modos de vestir de algumas comunidades negras africanas e afro-brasileiras podem ser entendidos como formas de preservação cultural, expressão artística e identitária. Os estúdios de Seydou Keïta e Malick Sidibé em um Mali em ebulição cultural, os dândis congoleses em Bacongo, a cena da moda na Costa do Marfim registrada por Maureen Bisilliat nos anos 1990, a resiliência e criatividade nas vestimentas do povo Herero, na Namíbia, as fotografias de Pierre Verger das indumentárias religiosas realizadas por mulheres negras baianas: todos esses registros, em conjunto, apontam para uma descentralização do olhar, enunciando uma narrativa visual que não é a do colonizador.

 

Hanayrá Negreiros é mestre em Ciência da Religião pela PUC-SP, e graduada em Negócios da Moda pela universidade Anhembi Morumbi. Tem como principais focos de estudo as estéticas afro-brasileiras e africanas, que se manifestam através da indumentária, iconografia, memórias e religiosidades negras.

 

20 DE NOVEMBRO

 

ENCONTRO INTERNACIONAL AFROFEMINISMOS DE ABYA YALA: Uma aposta crítica para o agora –  Teia 3 – Transformando

Afro-feminismos antirracistas e justiça social

Local:  Sesc 24 de Maio

Horário: 14h às 17h

Ingressos: Gratuíto. Retirada uma hora antes do evento
Imigração, participação política deficiente e injusta e violência doméstica são temas que atravessam a vida das mulheres negras em toda a experiência da diáspora. Nesse encontro entre Paola Palacios –  ativista pró direitos e dignidade das pessoa imigrantes, Eshe Lewis – antropóloga especializada nas análise de como o sexismo e o racismo impactam e perfilam as violências contra as mulheres negras e Nilza Iraci – comunicadora social e coordenadora executiva do Geledés – Instituto da Mulher Negra,  pretendemos discutir realidades e apontar horizontes para as lutas por justiça social e dignidade das pessoas negras no âmbito global.

 

Participantes

Eshe Lewis (Trinidade e Tobago/Canadá)

Paola Palacios (Colômbia/Chile)

Nilza Iraci (Brasil)

Mediação: Amanda Carneiro

 

O artista em processo | MOOC: Utilizando os seus acessos para impulsionar as construções de novas realidades do futuro

Local:  IMS Paulista
Horário: 16h30
Vagas: 35

GRÁTIS
O MOOC (Movimento Observador Criativo) nasceu como um manifesto que questiona narrativas periféricas e redesenha o papel do jovem negro na sociedade. A evolução do coletivo, composto por oito jovens negros paulistanos, vem das relações human x human e da busca por representatividade no mercado. Como estúdio criativo, apresenta soluções multidisciplinares por meio da arte, moda, música e da comunicação para as principais questões da atualidade.

 

Preta Jazz Festival

Local:  Auditório Ibirapuera
Horário: 17h

Ingressos: GRÁTIS. Distribuição de ingressos na bilheteria do Auditório, uma hora e meia antes da apresentação. Limite de dois ingressos por pessoa.
Com Amaro Freitas, Ana Karina Sebastião, Clarianas, Lenna Bahule e Renato Gama & Orquestra Profunda de Delicadeza

A programação da primeira edição do Preta Jazz Festival conta com as participações de Renato Gama & Orquestra Profunda de Delicadeza, do grupo Clarianas, do Amaro Freitas Trio e traz ainda o encontro inédito do duo formado pela contrabaixista e compositora Ana Karina Sebastião com a cantora e compositora Lenna Bahule, de Moçambique. O show abre oficialmente a Feira Preta – projeto que completa dezoito anos de existência como o maior evento de empreendedorismo negro da América Latina e reúne conteúdos, produtos e serviços que representam o que há de mais inventivo e inovador na criatividade preta, em diferentes segmentos.

Gratuito. Distribuição de ingressos na bilheteria do Auditório, uma hora e meia antes da apresentação. Limite de dois ingressos por pessoa.

 

FABIANA COZZA, NO SHOW DOS SANTOS

Show de Encerramento do Encontro Internacional Afro-Feminismos De Abya Yala: uma aposta crítica para o agora

Local: Sesc 24 de Maio

Horário: 18h

Sobrenome da cantora Fabiana Cozza e proposta de trabalho. A intérprete volta-se à riqueza do universo da mitologia africana iorubá para trazer à cena canções inéditas e releituras de temas que exploram as histórias e mitos de deuses e deusas que integram o panteão dos orixás. A pesquisa começou há dois anos quando Cozza ligou para compositores amigos e pediu canções para cada orixá. Entre os nomes dos autores que toparam o desafio estão Paulo Cesar Pinheiro, Moyseis Marques, Luiz Antonio Simas, Douglas Germano, Gisele de Santi, Roberto Mendes. No show, a riqueza das canções inéditas entremeadas de clássivos do gênero, visita a história do povo negro, dialoga com a ancestralidade, a cultura e a diáspora africana brasileira. Para vesti-las, Cozza propõe uma sonoridade inusitada para esta qualidade de repertório: o baixista Fi Maróstica, que assina a direção musical e 02 percussionistas, Douglas Alonso e Xeina Barros.

 

FESTA Afropunk e Feira Preta: Black to the Future

Local: Audio Club

Horário: 22h

Ingressos: LOTE 1:  R$ 40 (MEIA) / R$ 80 (INTEIRA)

LOTE 2:  R$ 50 (MEIA) / R$ 100 (INTEIRA)

LOTE 3:  R$ 60 (MEIA) / R$ 120 (INTEIRA)

PASSAPORTE, Nov 19 & 20: R$ 60 (MEIA) / R$ 120 (INTEIRA)

 

O Festival AFROPUNK é uma instituição que pauta a cultura pop há mais de 14 anos, um triunfo do multiculturalismo e da diversidade, incluindo todas as expressões de gênero, credos e culturas da diáspora africana. Nova York, Atlanta, Londres, Paris e Joanesburgo já abrigam eventos globais da AFROPUNK. Agora, o AFROPUNK anuncia que fará parceria com o festival Feira Preta, que inicia em uma festa de duas noites nos dias 19 e 20 de novembro de 2019, uma comemoração do 18º aniversário da Feira Preta. O evento potente será realizado na Audio, em São Paulo, e contará com duas noites de entretenimento ao vivo de artistas brasileiros, incluindo: BaianaSystem, Baco Exu do Blues, AyaBass com Luedji Luna, Xenia França e Larissa Luz, Karol Conka, Young Piva, Gabz , Batekoo e o DJ novaiorquino MikeQ, entre outrxs. Apresentado por Magá Moura e Linn da Quebrada.

Com um olhar para o passado, presente e futuro, estamos celebrando esta parceria com o AFROPUNK em nossa festa ‘Black To The Future’. Juntos Feira Preta e Afropunk para continuar aumentando o poder criativo e econômico da população negra.

 

21 DE NOVEMBRO


Encontro com Professor
Pixinguinha: do Lundú ao Choro [embranquecimento na música popular]

Local:  IMS Paulista

Horário: 18h30 às 21h30

Ingressos: Inscrição prévia até dia 19 de novembro pelo e-mail [email protected]

Neste encontro, os participantes poderão conhecer o processo de musicalização de Pixinguinha, compreendendo a constituição do Choro como gênero musical e o embranquecimento na música popular brasileira do início do século XX. Por meio da audição de composições e da mediação de elementos do conjunto biográfico do músico, propõe-se analisar questões raciais relativas ao contexto e refletir sobre a apropriação dos ritmos de matriz africana na atualidade.

 

Pré-requisito: Atividade destinada a educadores em geral e professores das redes pública e particular, de nível básico e superior, estudantes de licenciatura e educadores de instituições culturais.

 

23 NOVEMBRO


Caminhada São Paulo Negra

Local:  Ladeira da Memória (saída), ao lado do metrô Anhangabaú

Horário: 10h

Ingressos: R$ 20 – www.diaspora.black

A caminhada São Paulo Negra pretende resgatar as histórias negras que estão por toda a cidade, no centro e em bairros, como o Bixiga. O ponto de encontro será as 10h na Ladeira da Memória, ao lado do metrô Anhangabaú.  Durante o percurso de 3 quilômetros rumo ao Bixiga, o público poderá conhecer lugares importantes da história dos negros, como o ponto de venda de escravos da cidade, a Casa do Mestre Ananias, a Escola de Samba Vai Vai, a Igreja da Achiropita, que abriga a pastoral afro e finalizará na rua !3 de Maio, no evento Arte Na Rua, edição especial Feira Preta. As histórias são narradas pelo jornalista Guilherme Soares Dias, pela turismóloga Ana Carolina Nyamekie e pelo fotógrafo e produtor cultural Heitor Salatiel. A caminhada São Paulo Negra é organizada pelo Black Bird Viagem, plataforma de turismo e representatividade.

 

Arte na Rua: Passado, Presente e Futuro

Local: Praça Dom Orione, na Rua 13 de Maio – Bela Vista

Horário: 12h às 20h

Ingressos: GRÁTIS.

Em homenagem à Consciência Negra, o ARTE NA RUA e a Feira Preta se unem para contar uma história ainda pouco conhecida da cidade de São Paulo: o território negro do Bixiga. Com o tema “Passado, Presente e Futuro”, o ARTE NA RUA – FEIRA PRETA tem como objetivo dar luz à história do povo preto do Bixiga com música, dança, arte, passeio pelo bairro e gastronomia. Tudo conectado à ancestralidade, a continuidade e a ressignificação da cultura negra. Desde 2014, a iniciativa da Globo ARTE NA RUA valoriza os artistas e a arte perto e próxima das pessoas, e o potencial do espaço público para esses encontros. Pelo segundo ano, a Globo apoia a FEIRA PRETA para fortalecer o movimento, valorizar as manifestações culturais e revelar os territórios da história do negro em São Paulo.

Muito conhecido e frequentado como roteiro da gastronomia italiana e por sua efervescência cultural, o bairro do Bixiga foi antes de mais nada, um território quilombola, lugar de refúgio e acolhimento à beira do córrego Saracura. Essa história está lá, viva e impressa na escola de Samba Vai Vai, nos nomes das ruas 13 de Maio e Abolição, na pastoral afro, na tradição do samba que o bairro abriga, nos atuais encontros de jovens negros artistas.

 

O bairro se revela como um território de memória , de resistência e de continuidade da cultura negra, atraindo um público diverso, interessado em conhecer e vivenciar este patrimônio histórico e cultural. O evento presenteia São Paulo com arte e inspiração para todos, de uma forma gratuita e democrática. Do Samba de Bumbo à cultura preta jovem e urbana da Batekoo e outros artistas. Gastronomia e encontro de brechós com empreendedores negros.

 

Fotolivro de cabeceira | Laróyè (2000), de Mario Cravo Neto, com Aline Motta

Local:  IMS Paulista

Horário: 11h às 12h30

Ingressos: Distribuição de senhas 60 minutos antes do evento. Limite de 1 senha por pessoa.

Neste encontro, a artista visual Aline Motta fala sobre o fotolivro Laróyè (2000), de Mario Cravo Neto. No livro, cujo título remete a uma saudação em iorubá ao exu, orixá do candomblé, imagens coloridas de adultos e crianças, ruas cheias de gente, praias e mercados de Salvador, cidade natal do fotógrafo Mario Cravo Neto, são sequenciadas de modo magistral, em que noite e dia se misturam. Aline Motta é artista visual. Nasceu em 1974, em Niterói, mas vive e trabalha em São Paulo. É pós-graduada em Cinema pela The New School University de Nova York. Seus trabalhos combinam diferentes técnicas, como fotografia, vídeo e instalação. Foi vencedora da Bolsa de Fotografia ZUM/IMS em 2018 com o projeto de livro Jogo da memória.

 

“Somos Rainhas e Reis” e Oficina de turbantes, Com Luderê Afrolúdico

Local:  IMS Paulista

Horário: 15h30 às 17h

Ingressos: Gratuíto. Distribuição de senhas 60 minutos antes do evento. Limite de 1 senha por pessoa.

Somos Rainhas e Reis apresenta por meio da ludicidade e interação com as crianças e famílias, a história da Rainha Nzinga Mbande, que no Brasil é conhecida como Rainha Ginga. Ela foi uma importante liderança na luta contra a escravização em Angola e nesta contação, duas meninas, suas netas, trazem da memória afetiva os seus ensinamentos. Rememorando as falas da avó, se identificam com a Rainha, e passam a enaltecer seus traços físicos parecidos com a realeza africana, se coroam com turbantes, e convidam o público para também ser coroado, apresentando as diversas amarrações possíveis para o uso do turbante, símbolo de identidade negra ao redor do mundo. A realização dessa oficina acontece dentro de um cenário Afro Lúdico composto por: capulanas, espelhos, livros e músicas, criando assim, um ambiente rico de símbolos e significados. O encerramento se dá com um desfile em que os participantes poderão exibir seus turbantes.

CINE PIPOQUINHA no Petra Belas Artes

Exibição especial do filme Kiriku e a Feiticeira

Local: Petra Belas Artes

Horário: 10h30

 

Na África Ocidental nasce um menino minúsculo, cujo tamanho não alcança nem o joelho de um adulto, que tem um destino: enfrentar a poderosa e malvada feiticeira Karabá, que secou a fonte d’água da aldeia de Kirikou, engoliu todos os homens que foram enfrentá-la e ainda pegou todo o ouro que tinham. Para isso, Kirikou enfrenta muitos perigos e se aventura por lugares onde somente pessoas pequeninas poderiam entrar.

 

24 DE NOVEMBRO


África em nós

Local:  IMS Paulista, no vão (Av. Paulista)
Horário: 16h às 17h30
Ingressos: GRÁTIS

Músicos de diferentes nacionalidades e estilos unem-se para criar coletivamente uma apresentação no IMS Paulista. Eles foram escolhidos a partir de uma convocatória feita em parceria com o Festival Feira Preta, direcionada a músicos da diáspora africana. O projeto reúne o percussionista Boris Reine-Adelaide (Martinica), o baterista Charles Arche Borromee Obas (Haiti), o cantor e produtor Pyroman (Congo), o cantor Pupa Kanda (Angola) e o guitarrista e cantor Zola Star (Congo/Angola). A apresentação também conta com a participação do trompetista brasileiro Rômulo Alexis, do cantor congolês Bukassa Kabengele, da cantora, bailarina e compositora guineana Fanta Konate, e dos brasileiros Rômulo Alexis (trompete) e Lua Bernardo (baixo).

[ficha técnica]

Boris Reine-Adelaide – percussão (Martinica)
Charles Arche Borromee Obas – bateria (Haiti)
Pupa Kanda – voz (Angola)
Zola Star – voz/guitarra (Congo/Angola)
Pyroman – voz/produção (Congo)
Rômulo Alexis – trompete (Brasil)
Fanta Konate – dança (Guiné Conacri)
Bukassa Kabengele – voz (Congo)
Lua Bernardo – baixo (Brasil)

Vagas: 150 lugares em pé + 30 lugares sentados (público preferencial)

 

29 DE NOVEMBRO


Roupas de preta, olhares de branco: indumentária e imagens coloniais, com Hanayrá Negreiros

Local:  IMS Paulista

Horário: 19h30 às 21h

Ingressos: Gratuíto. Distribuição de senhas 60 minutos antes do evento. Limite de 1 senha por pessoa.

A conversa Roupas de preta, olhares de branco: indumentária e imagens coloniais, com a pesquisadora Hanayrá Negreiros, é uma parceria entre o Instituto Moreira Salles e o Instituto Feira Preta – que em 2019 completa 18 anos de existência propondo o tema “Passado, presente e futuro”, com vistas a estabelecer diálogos sobre origem, continuidade e novos caminhos da história, da arte, da cultura e do empreendedorismo negros. A partir de uma pesquisa iconográfica no acervo de imagens do IMS datadas da segunda metade do século XIX, a fala, que se relaciona também à exposição de livros Indumentárias negras em foto, em cartaz na Biblioteca de Fotografia, tem por objetivo iniciar discussões acerca do estudo das indumentárias usadas por mulheres negras, escravizadas e forras, nas chamadas carte-de-visite, pequenas fotografias em formatos de cartões-postais, popularmente feitas e comercializadas nos grandes centros urbanos brasileiros, sob a luz da escravidão e do colonialismo. Agora, no século XXI, fotografia e moda aliam-se no estudo da roupa como documento histórico, no entendimento da cultura material e no resgate de possíveis histórias e memórias ancoradas em corpos e vestes negras.

Hanayrá Negreiros é mestre em Ciência da Religião pela PUC-SP e graduada em Negócios da Moda pela Universidade Anhembi Morumbi. Tem como principais focos de estudo as estéticas afro-brasileiras e africanas, que se manifestam através da indumentária, iconografia, memórias e religiosidades negras.

3 A 5 DE DEZEMBRO

PRESERVAÇÃO AUDIOVISUAL | MEMÓRIAS PRETAS EM MOVIMENTO

Local: IMS Paulista

Horário:

ter, 03/12, 10:30

qui, 05/12, 10:30

Valor: GRÁTIS, inscrição prévia.

 

Entre os dias 3 e 5 de dezembro, o cinema do IMS em parceria com a Feira Preta promove

um breve curso de preservação audiovisual direcionado a profissionais negros que trabalham

com audiovisual em áreas como realização, pesquisa, montagem, roteiro, etc. O curso

funcionará como introdução à conceitos e algumas práticas chave de preservação

audiovisual (preservação de elementos digitais e analógicos, restauração, pesquisa e

difusão) , considerando tanto a produção contemporânea quanto filmes mais antigos e as

especificidades da conservação da produção audiovisual realizada por profissionais negros

no Brasil.

 

Programa do curso

Dia 3 de dezembro

10h30 às 13h30 (parte 1) // 14h30 às 17h30 (parte 2)

O que é preservação audiovisual? com Hernani Heffner

Dia 4 de dezembro

10h30 às 13h30

Preservação de suportes fotoquímicos, com Débora Butruce

14h30 às 17h30

Preservação de vídeo e digital, com Ines Aisengart Menezes

Dia 5 de dezembro

10h30 às 13h30

Pesquisa e curadoria do audiovisual negro no Brasil, com Heitor Augusto

14h30 às 157h30

Projetos de preservação na realização negra contemporânea, com Day Rodrigues

 

INSCREVA-SE
https://www.eventbrite.com.br/e/curso-preservacao-audiovisual-memorias-pretas-em-movimento-tickets-79596700875

 

 

PROGRAMAÇÃO FEIRA PRETA
7 E 8 DE DEZEMBRO, NO MEMORIAL DA AMÉRICA LATINA


SHOWS PALCO PRINCIPAL e RODA DE SAMBA

 

SABADO, 07 DE DEZEMBRO:

  • 12H00 – Abertura com Set List – DJ
  • Yoga  (JULIANA LUNA)
  • Encontro do Samba: Samba da Laje e convidados
  • SHOW Senzala Hi Tech
  • Drika Barbosa + Majur + Danna Lisboa
  • Larissa Luz convida Linn da Quebrada
  • 22h   encerramento

 

DOMIGO, 8 DE DEZEMBRO:

  • 12h            Abertura com Set List
  • DJ
  • Ato Ecumenico Inter religioso   com Padre Ennes e Pai Francisco de Oxum
  • Tuyo
  • Banda Africanos, com convidados
  • Encontro dos Blocos Afros: Ilu Oba, Ilu Ina, Zumbido e Umoja
  • Atoxxa
  • 22h             Encerramento

 

 

CONTEÚDOS  7 E 8 DE DEZEMBRO:

 

ESPAÇO GALERIA MARTA TRABA

 

  1. Tecnologia e Inovação: (Exposição + rodas de conversa e workshop)
  • Pretalab
  • UX Para Minas Pretas
  • TecnoGuetto
  • Afrotechbr
  • AfroPhyton

 

  1. Empreendedorismo Black Money & Educação Financeira (Exposição em espaço físico + rodas de conversa e workshop)
  • No Front Empoderamento Financeiro
  • Ubuntu Finanças
  • Grana Preta
  • Conta Black

 

  1. GEEK (Exposição em espaço físico + rodas de conversa e workshop)
  • Perifacon
  • Game Arte
  • Sue The Real
  • Vortex Comics (Nigeria)

 

  1. Turismo e Experiências Afros (Exposição + rodas de conversa e workshop)
  • Black Bird
  • Brafrika Viagens
  • Diaspora Black
  • Rota da Liberdade
  • Descubra Africa do Sul

 

 

  1. Preta Trampo – Mercado de Trabalho (Exposição + rodas de conversa e workshop)
  • Indique Uma Preta
  • Afro Trampo
  • Rede de Profissionais Negros
  • Empodera

 

ESPAÇO EXTERNO

 

  1. Saúde e bem Estar
  • AfroSaude (BA)
  • Instituto AfroAmparoeSaúde
  • Pretos Saudaveis (SP)
  • Amma Psique (SP)
  • Cresparia (SP)
  • La Frida Bike

 

  1. Brinquedoteca Ere (atividades lúdicas para as crianças e os pais)
  • Era Uma Vez o Mundo
  • DuduBade
  • Alfabantu
  • Ludere
  • Alfabantu

 

  1. Video Mapping (projeção mapeada)
  • Coletivo Coletores
  • Luciano Achiles

 

  1. Literatura: Exposição e Lançamentos
  • Quilombhoje
  • Nandyala
  • Kitabu
  • Lançamento Livro – Preta Rara
  • Lançamento Livro – Aline Chermoula

 

BIBLIOTECA – AUDITORIO

 

  1. Espaço Diálogos

 

13h30 – 15h    Workshop Afrohub + Instagram para Creators

15h30 – 17h    MOMENTO Kolene – Cuidados com Beleza e Transicao Capilar

17h30 – 19h    MOMENTO ITI – Empreendedores da Periferia

13h30 – 15h    Painel GNT: Passado, Presente e Futuro: a representação da mulher preta mudou?

15h30 – 17h    Helio Menezes (facebook + Instagran)

17h30 – 19h     Gêneros: Quais questões atravessam a existência preta

 

FEIRA PRETA 2019

Memorial da América Latina – Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda, São Paulo
(Metrô Barra Funda, linha vermelha)

Horário: 12h às 22h

GRÁTIS

 

TERRITÓRIOS FESTIVAL FEIRA PRETA em São Paulo

ENDEREÇOS

IMS Paulista – Av. Paulista, 2424 – Consolação, São Paulo

Audio Club – Av. Francisco Matarazzo, 694 – Barra Funda, São Paulo

Sesc 24 de Maio – R. 24 de Maio, 109 – República, São Paulo

Petra Belas Artes –  R. da Consolação, 2423 – Consolação, São Paulo

Mercado Livre

Auditório Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral – Vila Mariana, São Paulo

Praça Dom Orione – Bela Vista

 

O Festival Feira Preta é uma realização da pretahub, com parceria institucional da Secretaria de Estado da Cultura e Memorial da América Latina; patrocínio master ITI, co-patrocínio Assai Atacadista; parceria British Council,  Fundação Tide Setubal, Civico e Mercado Livre; apoio Cavalera; promoção: Globo, Instagram e GNT. Aliados: Sesc 24 de Maio, IMS, Itau Cultural, Audio Clube.

 

Sobre a pretahub

pretahub é uma aceleradora do empreendedorismo negro no Brasil. Um hub de criatividade, inventividade e tendências pretas. É uma evolução da experiência de 18 anos da Feira Preta, maior evento de cultura e economia negra da América Latina, que em 2018 atinge sua maioridade. Quer saber mais? www.pretahub.com

Sobre a Feira Preta

Criada pela empreendedora Adriana Barbosa, a Feira Preta é o maior espelho vivo das tendências afro-contemporâneas do mercado e das artes da América Latina, além de ser o espaço ideal para valorizar iniciativas afro-empreendedoras de diversos segmentos.

 

Informações à imprensa:

Oliver Press I www.oliverpress.com.br – (11) 3034-0743

Juliana Oliveira I (11) 98398-5307 I [email protected]

Patricia Hidaka I (11) 98811-0052 I [email protected]

Elaine Tessarolo I (11) 99996-7938 I [email protected]

Fabíola Ribeiro I (11) 96023-3615 I [email protected]

Sem comentários

Deixe uma resposta